UMBANDALOGIA – XANGÔ MENINO SINCRETIZADO.

O sincretismo é a mistura acrítica de ritos, crenças e elementos doutrinais de religiões diferentes e, em muitos aspectos, incompatíveis em conteúdo teológico. Esta é uma definição pouco ecumênica, mas, verdadeira, motivo pelo qual Umbandalogia não será nomenclatura de artigo, mas, antes estudos através de breves escritos avocando os irmãos umbandistas a serem depositários da memória religiosa, formuladores de teologias Umbandista e precursores de ensinamentos coerentes, conscientes e fundamentados. È uma introdução para o artigo, mas, será esmiuçada oportunamente.

Por ocasião do mês de junho quando se festeja Xangô o orixá que parece ser quem mais possui sincretizações com os santos católicos entre elas com São João Batista, São Pedro e com São Jerônimo, refletiremos um pouco sobre a figura de Xangô Menino na Umbanda. Próprio do rito Sagrado do Batismo, em especial evocação na cerimônia oficial da FUCESP, sincretiza-se na figura adulta de São João Batista embora alguns equívocos teológicos desdobram-se sobre ícones cristãos na figura de uma criança apontando para “Agnus Dei” ou Cordeiro de Deus o que neste contexto não se fundamenta.

A relevância do papel de São João Batista reside no fato de ter sido o “precursor” de Cristo ou da vida pública de Jesus, ele é assim, um dos elos de ligação entre o Antigo e o Novo Testamento.

Segundo o Evangelho de Lucas, João, mais tarde chamado o Batista, nasceu numa cidade do reino de Judá, filho do sacerdote Zacarias e de Isabel, parenta próxima de Maria, mãe de Jesus. O único santo católico comemorado na sua data de nascimento pelo fato bíblico que fundamenta a virtude cristã ainda no ventre de sua mãe: “… Maria foi visitar Isabel. “Ora quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança lhe estremeceu no ventre, e Isabel ficou repleta do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: ‘Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite?'” (Lc 1:41-43). Todas essas circunstâncias realçam o papel que se atribui a João Batista como precursor de Cristo.

A vaidade, o orgulho, ou até mesmo, a soberba, jamais estiveram presentes em São João Batista e podemos comprová-lo pelos relatos evangélicos Quando seus discípulos hesitavam, sem saber a quem seguir, ele apontava em direção ao único caminho, demonstrando o Rumo Certo, ao exclamar: “Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. (Jo 1,29). Neste contexto a imagem de Xangô Menino apontando para o céu pode ser interpretada como aquele que aponta para as intervenções necessárias a nossa mudança de vida, sentido teológico do batismo. O Batismo é um anúncio ao mundo que seremos inseridos na vida pública de servir ao próximo.

No século 6, a Igreja Católica passou a homenagear São João no dia 24 de junho, próximo ao solstício de verão fundamentando-se no fato de haver um único dia mais longo e a noite mais curta do ano, dia em que a LUZ é presente por mais tempo entre os homens. Na versão pagã da comemoração do solstício, fogueiras eram acesas para livrar as plantações dos espíritos maus que podiam impedir a fertilidade.

No hemisfério sul ocorre em junho o solstício de inverno, com o dia mais curto e a noite mais longa do ano, no entanto, prevalece a fundamentação da Igreja católica.

João batizou Jesus, embora não quisesse fazê-lo, dizendo: “Eu é que tenho necessidade de ser batizado por ti e tu vens a mim?” (Mt 3:14). Talvez esta seja a raiz para a fundamentação de uma teologia batismal Umbandista irrefutável a qualquer discordância sincrética: o batismo por excelência se dá na figura de Xangô Menino.

Kaô Kabecilê!

Silnei Aparecido Farkas é teólogo formado pela Pontifícia Faculdade de Teologia NSA Assunção de São Paulo, médium na T.U.Pai Oxalá, Caboclo Lírio Branco e Pai Joaquim de Angola e cursa regularmente a formação sacerdotal ministrada na FUCESP.

FUCESP – Federação de Umbanda e Candomblé do Estado de São Paulo 2015

1.158 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Federação de Umbanda e Candomblé do Estado de São Paulo f.U.C.E.S.P.  = 65 anos “  MOISÉS  BÍBLICO  “ O fato é que, algumas  de suas estátuas, pelo mundo afora tinham  chifres, algumas aInda existem,

Vamos tratar aqui, simplesmente dos três assuntos acima, mas somente para elucidar algumas questões para nós sacerdotes da Umbanda. Não queremos modificar nada, só esclarecer. O que é um EGUN: Nós umb